Estamos prontos para a faculdade?

novembro 20, 2007 às 12:41 am | Publicado em DEBATE | Deixe um comentário

No início de 2007, ficamos imaginando como seria o final de 2007: o vestibular. Agora que estamos no final de 2007, ficamos a imaginar o início de 2008: a faculdade, o que todos nós desejamos. Mas a gente tem de fazer um debate aqui: durante todo esse tempo, fomos educados com mentalidade de ensino médio, com professores e orientadores ao nosso lado, dizendo o que fazer e o que não. Só muito recentemente fomos mais deixados à deriva, pois nesse último instante é muito do aluno decidir que estratégia tomar para encarar o vestibular.

Mas estaremos, a maioria de nós, na universidade em 2008: e aí? Será que estamos fortes o suficiente para uma carga muito mais ativa, exigente de conteúdo, com professores que não vão ficar no nosso pé? Enfrentar o desafio de ter de estudar não só pra uma prova, mas para se capacitar como profissional?

Bem, uma coisa é certa: com mais ou menos esforço, todo mundo vai passar por isso, ninguém vai morrer antes.

O que vocês acham?

Harry.

Conhecimento Desnecessário (?)

outubro 10, 2007 às 1:24 am | Publicado em DEBATE, Vestibular.08 | 8 Comentários

Essa semana durante as aulas notei que quase nada daquilo que ficamos quase 18 anos de nossas vidas estudando não servirão para nada. Notei que não vai mudar na minha vida saber que um radical CH3 muda completamente uma cadeia cíclica; ou que “delta é igual a bê ao quadrado menos quatro A vezes C”.

“Ah, mas serve para passar no vestibular..”

E porque as questões dos vestibulares não abordam matérias como sociologia e filosofia? (matérias estas que nos serão uteis pro resto de nossas vidas e pra uma formação de opniões concretas. Ou até mesmo para enxergar a realidade de forma não-alienada ou realista).

No meu caso (por favor, não sigam meu exemplo), eu estudo agora, apenas aqueles assuntos que sei que serão úteis no meu dia-a-dia. Em especial, história.

 Eu gostaria saber o que vocês acham de estudar matérias – assuntos de – onde vêem que não mudarão em quase nada – ou nada – suas vidas.

Gabriela Borges 🙂

Internet: inimiga ou aliada?

outubro 7, 2007 às 6:09 pm | Publicado em DEBATE, Pais X feras | 1 Comentário

Oi pessoal,

A nossa geração tem acesso a uma ferramenta poderosíssima, a Internet. Muitos pais, no entanto, ainda encaram com desconfiança, ainda mais quando o fera exagera no pc.

Eu particularmente uso muito a rede, principalmente pra baixar provas anteriores, resoluções e fazer pesquisas mesmo. Entro quase todo dia, e isso nunca atrapalhou meus estudos. Acho que se o estudante souber controlar bem o tempo, a web é muito útil mesmo. Afinal, em que outro lugar poderíamos estar discutindo o vestibular entre nós mesmos?

O que vocês acham? A internet é benéfica ou só atrapalha? Qual a freqüência ideal de acesso?  Dá pra estudar pela rede? É só dar a sua opinião.

Larissa

A fuga de cérebros

outubro 5, 2007 às 8:55 pm | Publicado em DEBATE, Sem-categoria | 2 Comentários

Já estudamos esse assunto em aulas de Geografia, mas poucas vezes nos damos conta de como é profunda essa questão. “Fuga de cérebros” é quando os mais especializados profissionais de um país são atraídos por trabalhos no estrangeiro, tendo melhor remuneração, benefícios e reconhecimento, em troca de desenvolver pesquisas, tecnologias e outras coisas para o país que o contratou. Vejam bem como é: uma organização, até mesmo o governo, contratar profissionais altamente especializados de outros países é sinal de que há um cenário econômico bastante particular: ou não há qualificação suficiente no país de origem ou se deseja “raptar” os cérebros que têm o poder de promover inovações no mercado. Os Estados Unidos, por exemplo, são grandes atratores de cérebros, mas não é por falta de bons profissionais em seu território; eles desejam os melhores pesquisadores do mundo para que possam desenvolver suas tecnologias e então patenteá-las, tendo quase que monopólio inicial no mercado. É por isso que as inovações “começam” nos EUA; na verdade, muitas delas foram concebidas por indianos, árabes, europeus, que são destacadamente especializados e capacitados. O Vale do Silício é um dos mais famosos centros de tecnologia, localizado na Califórnia, e se estende por várias cidades, como Campbell, Saratoga e Fremont (são 16 no total). Grande parte dos pesquisadores de lá não são americanos. Muitas das empresas que hoje são as maiores do mundo foram desenvolvidas no Silicum Valley, como a Google, a Apple, a NVIDIA Corporation, Hewlet-Packard e nada menos que a Microsoft.

O que isso significa para o país que perde esses cérebros? Ele perde um grande potencial de inovações, que serão desenvolvidas por seus trabalhadores, mas para uma outra nação. Calcular o que a economia desse país perde por isso é bastante difícil. O Brasil, embora não seja um grande lançador de cérebros, tem alguns exemplos “cabulosos” para mostrar. Um destaque muito interessante é no setor de cinematografia e produção gráfica. Alguns dos grandes fenômenos de bilheteria tiveram em sua produção brasileiros. Talvez o maior deles: o filme Matrix, considerado uma revolução cinematográfica e copiado pelos filmes que o seguiram. Matrix trouxe muitos produtores brasileiros. Outro exemplo é o desenho computadorizado A Era do Gelo I e II, sucessos de público. Agora pensem: o que essas mentes não seriam capazes de fazer em prol do nosso país? O Brasil pode se lançar como top na disputa internacional em diversas áreas, bastam investimentos e projetos.

É por isso que lanço aqui o desafio: como fazer com que esses cérebros nacionais sejam incentivados pelo mercado interno? Mesmo porque nós somos esses futuros cérebros. Será que, se nos fosse feito um convite para trabalhar no exterior, valeria a pena ficar aqui no país? Seríamos tão bem reconhecidos, teríamos os mesmos horizontes? O Brasil investe cerca de 1% de seu PIB com ciência e tecnologia… é suficiente? O que falta para se ter um projeto consistente de desenvolvimento tecno-científico?

Feras, quero que vocês pensem nisso e que mandem sugestões. Não será um comentário convencional: peço que vocês nos mandem idéias de que medidas o Brasil deveria tomar para se tornar um atrativo pólo de inovações científicas e tecnológicas. Tentem sair do senso comum: não sugiram, por exemplo, investimento maciço em educação, com mais verbas destinadas às pesquisas científicas nas universidades, pois isso não é novidade. Pensem em algo que poderia ser aplicado de modo bastante prático e concreto. Exemplo: No Japão, os universitários de engenharia, informática etc. são convocados, no final do curso, para desenvolver idéias novas a serem postas no mercado. Muitas delas de fato foram, como projetos de carros “futuristas” que são constantemente elaborados. O que impede a implantação de um sistema parecido aqui? Outra: por que não montar um projeto em conjunto com as empresas privadas, como dar a elas benefícios de mercado caso novas tecnologias ou idéias sejam desenvolvidas por seus funcionários?

Talvez esse desafio exija muito do intelecto de adolescentes terceiro-anistas, mas acredito sinceramente que vocês são capazes de ter grandes idéias. (Não sei se vocês perceberam, mas isso foi uma provocação pra estimular vocês a participarem!!!)

É isso aí, quebrem a cabeça.

Harry

DEBATE – LEGALIZAÇÃO DA MACONHA

setembro 26, 2007 às 11:04 pm | Publicado em DEBATE | 36 Comentários

maconha30091.jpg

FALA PESSOAL.        MACONHA

PARA COMEÇAR NOSSOS DEBATES GOSTARIA DE ESTREÁ-LO COM UM TEMA QUE DIVERGE EM MUITAS OPINIÕES. A LEGALIZAÇÃO DA MACONHA.

PARTICULAMENTE, SOU A FAVOR.

FELIZMENTE MEU MODO DE PENSAR NÃO É IMPOSSÍVEL DE SER REALIZADO, MAS VALE LEMBRAR QUE ESTAMOS NO BRASIL, POR ENQUANTO QUALQUER PENSAMENTO QUE SEJA UM POUCO PARECIDO COM AS IDÉIAS DOS PAÍSES DE 1° MUNDO É QUASE QUE UTÓPICO SER APLICADA NO NOSSO PAÍS.

SOU A FAVOR DA LEGALIZAÇÃO, PORQUE ACREDITO QUE O GOVERNO TENDO EM MÃOS O CONTROLE DA DISTRIBUIÇÃO DESTA DROGA, PODERÁ EXTINGÜIR O ENVOLVIMENTO DE CRIANÇAS E JOVENS NO TRÁFICO.

AO INVÉS DESTAS CRIANÇAS ESTAREM ESTUDANDO ESTÃO MUITAS VEZES NA LINHA DE TIRO ENTRE POLICIAIS E TRAFICANTES, PATA TER O QUE COMER QUANDO CHEGAR EM CASA.

O ESTADO DEVE TER O CONTROLE DESTE GRAVE PROBLEMA.

A DEPENDêNCIA QUÍMICA DEVE SER TRATADA COMO DOENÇA. UM APOIO MÉDICO E PSICOLÓGICO AO PORTADOR DO PROBLEMA É FUDAMENTAL.   

VAMOS PARA UM BOM DEBATE.

DEIXO AQUI MINHA OPINIÃO SOBRE O ASSUNTO, CONTO COM A PARTICIPAÇÃO DE TODOS VOCêS.

VOTEM SIM ou NÃO, E SE QUISER EXPRESSEM SUAS OPINIÕES. O DEBATE FICARÁ EM ABERTO POR ALGUNS DIAS E LOGO DEPOIS SAÍRAM AS ESTATÍSTICAS.

ABRAÇO, MARCÃO 

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.