Conhecimento Desnecessário (?)

outubro 10, 2007 às 1:24 am | Publicado em DEBATE, Vestibular.08 | 8 Comentários

Essa semana durante as aulas notei que quase nada daquilo que ficamos quase 18 anos de nossas vidas estudando não servirão para nada. Notei que não vai mudar na minha vida saber que um radical CH3 muda completamente uma cadeia cíclica; ou que “delta é igual a bê ao quadrado menos quatro A vezes C”.

“Ah, mas serve para passar no vestibular..”

E porque as questões dos vestibulares não abordam matérias como sociologia e filosofia? (matérias estas que nos serão uteis pro resto de nossas vidas e pra uma formação de opniões concretas. Ou até mesmo para enxergar a realidade de forma não-alienada ou realista).

No meu caso (por favor, não sigam meu exemplo), eu estudo agora, apenas aqueles assuntos que sei que serão úteis no meu dia-a-dia. Em especial, história.

 Eu gostaria saber o que vocês acham de estudar matérias – assuntos de – onde vêem que não mudarão em quase nada – ou nada – suas vidas.

Gabriela Borges 🙂

Anúncios

8 Comentários »

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

  1. Concordo em parte com você também, Gabi. Muitas coisas não são estudadas DO MODO COMO DEVERIAM SER. O exemplo que você citou: acredito que existe uma profundidade muito grande em se estudar a química molecular como agente no nosso organismo, mas essa escala não é percebida no colégio, na maioria das vezes, a não ser em uma curiosidade falada pelo professor ou em uma pergunta eventual. Da maneira como a gente estuda na escola, muitas coisas só servirão aos que forem prestar o curso específico (engenharia química, para o seu exemplo). Acho importantíssimo aprender física para conhecer o mundo à nossa volta, para olhar um arco-íris e compreender o fenômeno, mas completamente desnecessário só para fórmulas e equações, objetivando apenas o vestibular.

    Harry

  2. Gabi, num sei não. Concordo em partes com vc. Quando eu tinha a sua idade eu pensava exatamente isso… mas vejo hoje que eu estava completamente errado. E que mesmo aquilo que somos forçados a aprender e que nunca iremos usar na vida prática nos vale como crédito de não-ignorância. Imagine que tudo o que estudamos pode ser acumulado como créditos… como pontos bom-clube (analogia ridicula)… e que quanto mais vc tem, mais vc pode trocar, agregar e acumular outros conhecimentos. Isso vai servir de base pro resto da vida. e quanto a estudar filosofia… sociologia… creio que vc não compreenda a profundidade dos temas ali tratados e que sem o minimo de “créditos de conhecimento” você nunca vai tirar tanto proveito de tais cadeiras.

  3. O conhecimento ensinado no ensíno médio não é um conhecimento profundo sobre os assuntos de química ou matemática, são os conhecimentos mínimos que qualquer pessoa no mundo deveria ter para não passar por vergonha quando se for discutido um assunto que não se refere a sua área.

    Não existe um conhecimento inutil, se não fosse pelos químicos, físicos e matemáticos ainda viveriamos na idade média, do mesmo jeito que estudamos história ( o passado) para construir o futuro, estudamos as ciências “desnecessárias”.

    Não gostar de determinada matéria é um direito seu, mas considera-las desnecessárias é ofender a todas as pessoas que planejam trabalhar com isto no futuro.

    🙂

  4. Talvez vocês tenham entendido de forma deturpada o que eu disse.

    o que o harrisson comentou ali é exatamente o que eu queria dizer.
    não desmereci as matérias, apenas falei que estou saturada de estudar coisas que não me agradam nem um pouco e que a forma como elas são vistas talvez não sejam as mais corretas.

  5. No caso, a idéia não seria pensar na possibilidade de descartar matérias ou acrescentar novas, mas sim, mudar o método de ensino seguidos por alguns colégios. Se você quer tanto assim aprender pro futuro, uma idéia seria procurar um colégio que siga a pedagogia Freinet, por exemplo. A Escola Recanto por muitos anos seguiu esse maneira de ensinar.
    Digo isso, mas não é realmente necessário esse tipo de “radicalismo”. Isso depende até mesmo dos professores. Em algumas instituições você encontrará professores de Matemática(por exemplo) que ensinam a você o que é a matemática, demonstrando fórmulas e estudando a interdiciplinaridade. Em outras instituições, você encontrará professores que mais parecem robôs programados pra jogar as fómulas no quadro e copiar algumas questões.
    Em outras palavras, não fale de uma forma tão generalizada.
    🙂

  6. Eu não quis generalizar, mas talvez a forma como eu escrevi tenha dado a entender isso, né?

  7. Realmente, muitos interpretaram mal o que Gabi quis dizer, embora a maneira por ela colocada talvez desse brechas pra isso mesmo. (Falha nossa, gente, mas acontece xD). A questão é que, quando mal ensinados, os conteúdos convencionais dos colégios não passam pra nossa vida como construtores do conhecimento. São coisas que esquecemos, das quais gravamos apenas o básico, sendo o restante utilizado só na hora das provas. De fato, como disse WL, os assuntos não são vistos de maneira tão aprofundada, mas mesmo assim, se forem passados mecanicamente, não nos constróem. Gostei bastante do comentáio de Raul. Mas, em vez de argumentarmos assim, vamos ver: quantos economistas formados, ou até mesmo universitários de Economia, lembram de ou pensam na Teoria Cinética dos Gases? Esse é um assunto muito útil, extremamente inteligente e aplicável no dia-a-dia, mas quem sabe aplicá-lo assim? Isso acontece porque nós decoramos o conteúdo, não absorvemos sua essência (na maioria das vezes).
    Mas é isso aí, galera, gostei dessa polêmica que gerou 7 comentários. Continuem assim hehehe. ^^

  8. Acho que temos muitos conteúdo que poderia ser removido do ensino médio e outros que deveriam ser abordados de forma mais detalhada. Entretando, a coisa não é assim tão simples. Toda disciplina possui partes que são inúteis a boa parte das pessoas, o importante seria selecionar o que realmente é relevante e abordar de forma adequada e racional entre os alunos do ensino médio. A minha universidade cobra sociologia e filosofia na prova geral, mas isso não significa que os alunos estudem tais disciplinas reletindo sobre algo, mas a maioria faz como na física ou matemática, decora até passar no vestibular e esquece! Ou seja, no fim, acabou sendo apenas mais uma disciplina…


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d blogueiros gostam disto: